quinta-feira, 12 de junho de 2014

Quem vai poder ouvir meu grito?
Larguei-me em despendida na noite fria
Puxando meu cobertor, junto ao corpo esquecido
Amanheci perguntando que dia é hoje?
Dia diferente ao sol,  ao som dos despedidos
Despedindo-se do amor ao chão ríspido
Onde está a rosa para te ofertar?
Onde está a margarida pra a gente brincar?
Gritei  sozinha o meu grito de dor no escuro
Quem pode me ouvir  
Se nem eu mesma me escuto.


Ana Lima.