sábado, 3 de novembro de 2012


Mergulho no escuro


Em clara visão noturna
Já não sou mais a mesma
Que não posso sentir o céu
Debaixo dos pés
E os pés flutuando
Em nuvens brancas
Grades abertas
Asas soltas
Vôo noturno
Mergulho no escuro.
Medo, desejo...
Tudo é tão novo e antigo.
Asas soltas, pedindo para
Voar alto e alimentar-se
Dos insetos acima e das
Estrelas debaixo das águas
Escuras.
Quero tudo claro
De novo
Oceano
Ilha do Cardoso!



Ana Lima