sábado, 3 de novembro de 2012


CÁLICE


O liquido do cálice, desceu queimando as entranhas,
Era a solução pra quem já não via mais a luz do sol.
Na correria do hospital, homens de branco...
Não conseguindo a vida salvar.
Olhares perdidos diante daquele ser tão jovem,
Cabelos negros longos, aquele corpo...
Aquele rosto refletido no espelho, nas meninas dos olhos!
Ah! Naquela hora vi tanta luz em minha volta, e num sussurro a Deus clemência pedi: traga –me de volta! Mas já era tarde!
Antes da ultima aurora, antes do ultimo suspiro, olhei pela vidraça, vi aquela mulher chorando...Mãe! aquele homem perdido...Pai!
Já não tinha mais voz, então elevei meu pensamento em direção a eles e a  Deus, e num pedido de perdão! E segui...Quase em paz!

(Ana  lima)