sábado, 3 de novembro de 2012


Assim é o amor...

Eloqüente...
Consistente, atento,
Sem fronteiras e medos...
Passeio em teu corpo,
Em curvas e pelos – dedos...
Saliva e língua.
Enrosco em tuas pernas,
E no topo da mantanha,
Deslizo...
Entre, Meio...
Manifesto desejos.
Na intimidade...
Intensidade de corpos – Goso!
Meu olhar viaja entre os teus olhos...
E é suave o sorriso no rosto.
No descompasso dos corações,
O som vibra em bela melodia,
E a poesia se faz...em gestos...
No tecido de tua pele molhada e macia.
Enlouquecido... teu corpo febril, envolto no meu,
E eu... entregue em gemidos!

Ana Lima

Pas seios 



Flutuo nessa noite, para renacer-me
Despida e entregue em teus braços
Despertando-me  em pequenos raios!
Olho-te com suavidade e toque...
Beijo-te sem pressa...
E minh’alma calma, viaja nessa janela
e resguarda, meu corpo santo e pecador.
Insana...
Sinto-me novamente em antigos temporais,
Novos relânpagos...
Na chuva fina...toda molhada!
Viciosa, sigo silênciosa,
amanhecida no tecido fino da vida!
Esperando novamente a lua...
Ao chegar...Lunática...
Ao fim de cada dia,
Flutuo novamente,
Viajante de mim em passeios...
Uivando...No alto da montanha.
Ana Lima