segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Eloquente...


Consistente, atento
Sem fronteiras e medo
No canto, no meio
Entre...
Manifesto desejos
Envolto, em teu corpo majestoso...
Na sutileza de toques
Na intensidade do sentir
Sereno é o olhar ao te amar
E não é sutil o manifestar
Do gozo, que se faz como canção
Ao prazer do ato de amar
Volver...
Corpos flutuantes
Já não sou somente eu...
Sou viajante de mim em passeios
Curvas, pele e pelos - dedos...
Línguas em passeio no céu da boca
Solta, refugio-me em teu ser
Sinto-me  toda sua...
Voluptuosidade de homem
Entre choques, o corpo tremulo
A canção se faz ao amar
Viciosa, sigo silenciosa
Anoitecida
Lunática...
Volto a uivar
Com a lua cheia
Ao longe
No topo 
Da montanha.


Ana Lima