segunda-feira, 28 de julho de 2014

Ninguém pediu


Ninguém pediu pra ser assim...
Ninguém desejou um coração choroso
Com vontade de outras coisas além...
Além que era permitido.
Ninguém pediu pro coração parar de sonhar
Nem de parar de sofrer , ou até mesmo de chorar
Ele amanheceu um dia igual aos olhos inchados
Aí... Resolveu pegar um barquinho e remar
Nas águas que desceram dos olhos...
Dos olhos que inundaram o coração
Que ficou perdido, cansado dos desejos 
De viver uma paixão e quem sabe...
Um GRANDE amor.
Aí... Ele remou até chegar ao mar 
E nele, afundou - se.

Ana Lima.