domingo, 17 de março de 2013

A saudade me abraçou a noite 
E a escuridão perseguiu-me no silêncio
Da madrugada e caiu sobre mim...
O peso da triste despedida.
Rogo-te, não me deixe no esquecimento,
Como quem só passou por sua vida, pela poesia...
Pelas letras de um nome qualquer,
Pelas frases mal escritas,
E nem se quer, saudade deixou.
Não, não  ficarei no esquecimento
Eu bem sei, porque me esquecer 
É saber que perdeste algo
Dentro de você.


Ana Lima