sábado, 25 de julho de 2015





Dormi nossos sonhos.



Seu grito, 
numa dessas madrugadas frias,
quando meu corpo, precisava do teu,
para juntos sermos aquecidos.
Embrulhei-me ao cobertor,
 ouvi o som da melodia...
Que me aquietou o  coração.
Voltei a pensar na poesia...
Nos sonhos abandonados,
ainda não vividos…
Beijos, que não juntaram os lábios
E abraços que juntaria dois corações...
E o corpo em pele, pelos e…
Os cabelos em desalinhos.
É isso… seria tão simples assim...
Eu não saber mais o que é saudade!
Não parar de querer te olhar em  silêncio...
Mas apenas, mais uma noite me chegou  sorrateira,
para me tirar o sono , onde  tantas vezes
Dormi nossos sonhos!  



Ana Lima