quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Fardo pesado

Carregaste um fardo pesado,
em teu triste e doloroso passado.
Carregaste um fardo,
de algodão molhado,
Um fardo, que não era  teu,
e  de todo teu passado,
Sobrou- te  apenas vestígios, 
de uma criança, que não brincou.
Agora já adulta, tu procuras por quem
no mundo te colocou,
procuras ... Como quem procura,
o mais importante tesouro.
A quem devolver o fardo,
que  não te pertence ?
“Há um  alguém na constelação, para recebe-lo.”
Enquanto isso, continua  caminhando só!
Mas faça de tua vida, um movimento,
 pleno de felicidade, como se o fardo,
fosse apenas,  um peso necessário,
na construção da sua passagem,
para mais leve, ser seu descanso,
na eternidade! 


Ana Lima.